27 julho, 2011

abraçoscartola

            Como naquele velho
            samba
            em mim ainda mais novo
            do que esse sentimento explosivo
            de amor angustiado
            e guimbas de cigarro
            jogadas no asfalto
            refletindo a chuva
            por sobre, caindo o prédio alto
            molhado ou chorando
            por todos os poros:
            suado
            amor bem cadenciado,
tamborim marcando
o fim.

23 julho, 2011

            volta chuva
            vai culpa
            a gota esmiúça
            e dilui
            muda
            os olhos por dentro da janela do outro lado da rua

            mesmo que fosse minha
            ou estivesse nua
            mesmo que fosse sua
            a mulher, ainda aninha!,
            na clavícula curva
            a gota mais fria e crua,
refletindo amarela de poste
alegórica melancolia pura.

            pura chuva,
            purifica.

20 julho, 2011

ação e relação

                Fazer carinho
                em você
                é
                fazer carinho
                em mim.

13 julho, 2011


"É seu."
"Leva logo, é tudo seu."

07 julho, 2011

Rec. botão vermelho

            É que a possibilidade de eternizar tudo
me inquieta. Quando estoura o flash,
e eu vejo um brilho de metal de aliança,
e uma dança gravada numa fita cassete.

flash, black tie, socialite. Isso, se desse certo
do contrário já é demais pra imaginar.
É que a possibilidade de explodir tudo
me desperta. Todo dia, às seis.

04 julho, 2011

Leiteratura

Ainda é cedo
            antes do dia
            ainda é frio
            e o café quente,
            atrás
os olhos
            dormem,
            a língua amarga rotina
embaça
            retina
correm rápido as coisas
canecas novas pretas
toalha
amacia
ou vapor
quente
olhar inerte
na caixinha do leite
o ministério da saúde adverte.



 a vaca Lhada, stencil.