18 setembro, 2011

a gente menos espera

            O perdão é anterior à palavra
            acontece na boca da aurora
            vem espraiado, braços de sol
            enraíza: carne dos pulsos
            materializado
na face em lágrimas
           
            Tão mais eterno que o chiado
                                   no fim da vitrola
            traz paz no silêncio
e silencia
            enquanto o poente consola

17 setembro, 2011

            Estímulos:
            epígrafes
            para sensações
            esfinges, indecifráveis febres
            a quem é louco o bastante
            para pisar fora de casa
            e estar
           
            invulnerável
            ao canto dos pássaros
            e o sopro dos pequenos nadas da praça
            manifestando-se
            na forma de insetos
            ou folhas secas
            secando e sumindo
            sorri

            enquanto somos capazes de ver
            apenas um
dos duzentos passos da eternidade
            e o reflexo vago
            de meia-vida da lua

07 setembro, 2011

Poema descorado

            Me deixa e vai embora mesmo
            me deixa e larga tudo que foi até agora
            me deixa e me deixa
            me deixa no meio da estrada
            esquece que bifurcou
            diminuiu, virou caminho de terra
            só tem poeira
            sobre as nossas fotos
            que encerram as datas
            em que você me deixou
            pensando
            me deixa pensando
            mas não me deixa sentir
            saudades
            me deixa província
            me deixa cidade
            me deixa em casa
            depois do cinema e do motel
            me deixa flores em cima da mesa
            me deixa um recado amarelo na porta da geladeira
            me deixa sozinha de manhã
            que é pra eu não ver a bagunça do seu cabelo
            me deixa sozinha à noite
            que é pra eu sentir vontade
            e a gente se falar por telefone
            me deixa contar nossa história
            de trás pra frente
            me deixa do avesso
            me deixa encostar a mão
            e fingir que nada fiz
            me deixa feliz
            me deixa solteira
            ou simplesmente me deixa aqui

            me deixa
            com lágrimas no rosto
            me deixa

01 setembro, 2011